Ministro da Saúde elogia gestão hospitalar da UFMG

Publicado em Notícias
04 de julho de 2011

Em visita ao Hospital Risoleta Tolentino Neves (HRTN), em Belo Horizonte, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, elogiou o modelo humanizado de atenção na maternidade da instituição, que é administrada pela UFMG/Fundep, em parceria com os governos do estado e da capital. A visita ocorreu na sexta-feira, 1º de julho, na companhia do reitor Clélio Campolina.

Em entrevista à Rádio UFMG Educativa, o ministro ressaltou a importância da parceria entre os entes federativos para o atendimento aos pacientes do Hospital, além de anunciar novos projetos para a instituição.

O reitor Clélio Campolina, por sua vez, destacou a contribuição do Risoleta Neves para a formação dos estudantes de Medicina e falou sobre mudança, prevista para breve, no contrato de gestão, que passa a envolver a Prefeitura também na administração de recursos, além da assistência.

Durante a visita ao hospital – que contou também com o secretário estadual da Saúde, Antônio Jorge Marques, e o secretário de Saúde de BH, Marcelo Gouvêa Teixeira –, o ministro conheceu a experiência do hospital na construção das redes de assistência. O processo abrange ações como organização do atendimento de urgência e emergência do hospital como unidade de referência para o Eixo Norte da região metropolitana; o funcionamento do modelo humanizado de atenção na maternidade da instituição; o processo de horizontalização do cuidado ao paciente crítico; e o trabalho realizado na Unidade de Acidente Vascular Encefálico (AVE). O HRTN fica na rua das Gabirobas, 1, no bairro Laranjeiras.

Em Belo Horizonte, ainda segundo a reportagem da UFMG Educativa, Padilha anunciou ainda R$ 220 milhões em investimentos a serem aplicados nos municípios da Grande BH em dois programas: expansão do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e da Rede Cegonha, lançada pela presidenta Dilma Rousseff para garantir atendimento humanizado a gestantes. Ele inaugurou ainda 29 novos leitos na Santa Casa de BH como parte do projeto Mil Leitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

(Com Centro de Comunicação da UFMG)

 

Share

Oficina e pesquisa relacionam saúde e trabalho

Publicado em Notícias
01 de julho de 2011

Dores decorrentes de posturas inadequadas, fadiga física e mental, estresse e enxaqueca são apenas algumas consequências possíveis dos maus hábitos adotados no ambiente de trabalho. A relação entre saúde e trabalho rende intensas preocupações e é um assunto que mobiliza pesquisadores, médicos, políticos e gestores do SUS. Ontem e hoje, a Faculdade de Medicina da UFMG sediou a oficina de trabalho “Contribuição ao processo de facilitação do desenvolvimento de ações de Saúde do Trabalhador na Atenção Básica”.

A oficina, coordenada pela professora Elizabeth Costa Dias, é parte das atividades inseridas no contexto do projeto de pesquisa “Desenvolvimento de conceitos e instrumentos facilitadores da inserção de ações de Saúde do Trabalhador na Atenção Primária”, desenvolvida pelo Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Medicina, em colaboração com o Ministério da Saúde. Além de levantar o debate, a oficina serviu para apresentar a pesquisadores e gestores alguns resultados preliminares do estudo.

Projeto de pesquisa
A pesquisa propõe identificar, através de estudos de caso, questões comuns relacionadas à saúde do trabalhador e, em seguida, apontar sugestões na gestão e no marco regulatório e apresentar uma estratégia pedagógica para capacitação de equipes. “O trabalho está diretamente ligado à promoção, prevenção e assistência à saúde. Quando uma pessoa está satisfeita e feliz com sua ocupação, certamente sua qualidade de vida está sendo promovida. A prevenção consiste em conhecer os riscos e mudar os processos de trabalho geradores de doenças. Na assistência, identificar quando um adoecimento é consequência de ocorrências no trabalho é um primeiro passo para direcionar o tratamento”, esclarece Elizabeth Dias.

A pesquisadora alerta para a necessidade de traçar um perfil ocupacional de cada região através dos questionários realizados pelos agentes comunitários de saúde. “Se descobrimos, por exemplo, que 70% da população de uma cidade têm sua atividade ligada à extração de minério ou à lapidação de pedras, podemos planejar ações educativas de saúde específicas para este município”, explica Elizabeth Dias.

Ela defende também que as Unidades de Saúde colham um histórico ocupacional detalhado de todo paciente, uma informação importante para o médico realizar o diagnóstico. “É preciso saber tanto a profissão, como o local de trabalho. Há profissionais que atuam fora da área e muitas vezes os questionários não esclarecem essa questão. Além disso, um porteiro de edifício é diferente de um porteiro de cemitério”, distingue.

Outro ponto levantado pela pesquisadora diz respeito à necessidade de levantar dados concretos. “Há uma confusão numérica sobre o índice de acidentes fatais de trabalho. Às vezes essa quantificação é problemática e pouco esclarecedora. Mas é preciso fazer esse esforço de levantar os números, pois só assim conseguimos chamar atenção para os problemas e entramos na agenda dos gestores”, diz a professora. O projeto segue em desenvolvimento e está prevista, para dezembro, a realização de um seminário ampliado e aberto aos interessados na discussão do tema.

Share

Professor discute Teste do Pezinho em Audiência Pública

Publicado em Notícias
30 de junho de 2011

O portal da Faculdade de Medicina da UFMG está disponibilizando vídeo que contém o pronunciamento do professor Marcos Aguiar durante a Audiência Pública sobre o Teste do Pezinho, realizado pelo Senado Federal. A iniciativa aconteceu no dia 6 de junho, mesmo dia em que é comemorado o Dia Nacional do Teste do Pezinho. Na ocasião, políticos, pesquisadores e gestores da saúde se reuniram para analisar os avanços e discutir os desafios enfrentados em cada região do país. A Audiência Pública foi realizada no âmbito da Comissão de Direitos Humanos, a partir de um requerimento da então senadora Gleisi Hoffmann.

O “Teste do Pezinho” é o nome popular para a triagem neonatal, exame que possibilita o diagnóstico precoce de quatro doenças: fenilcetonúria, fibrose cística, doença falciforme e hipotireoidismo congênito. O procedimento é realizado nos primeiros dias de vida, retirando um pouco de sangue do calcanhar do recém-nascido. No estado de Minas Gerais, o Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da UFMG (Nupad) é o responsável pelo diagnóstico e pelo acompanhamento do tratamento dos doentes.

Vice-diretor do Nupad, Marcos Aguiar foi convidado para apresentar o trabalho desenvolvido em Minas Gerais que possui reconhecimento internacional. O vídeo do pronunciamento foi disponibilizado pelo Senado Federal para a Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG.

Assista ao vídeo:

 

Assista ainda, na TV Senado, outros pronunciamentos realizados na Audiência Pública sobre o Teste do Pezinho.
 

Share

Os benefícios do vinho para a saúde

Publicado em Entrevistas
30 de junho de 2011

Aquela máxima “tudo que é bom faz mal” pode ser aplicada em várias situações que envolvem comidas e bebidas, mas definitivamente não é o caso do consumo de vinho. Saboroso, ele também está associado a reações saudáveis no corpo, como aumento do HDL e redução na incidência do câncer.

Júlio Anselmo é médico, enófilo e ex-professor da Faculdade de Medicina da UFMG.

Sobre esse assunto, o médico, enófilo e ex-professor do departamento de Morfologia, Júlio Anselmo de Souza Neto falou à Faculdade de Medicina, onde ele ministra, nesta semana, um curso de 12 horas de iniciação ao vinho.

Quais foram os impactos, no Brasil, da descoberta de benefícios para a saúde do consumo de vinho?

Independentemente das descobertas dos benefícios do vinho, noto que as pessoas, no Brasil, estão consumindo mais essa bebida. Hoje, sempre que vamos a algum bar, vemos o vinho sendo consumido em algumas mesas. Mas, sem dúvida, a descoberta que algumas substâncias fazem bem à saúde também contribuiu para o aumento do consumo. Mas eu sempre digo que se deve beber vinho pelo prazer. O benefício é um complemento.

E quais são esses benefícios do vinho comprovados cientificamente?

São vários, mas todos são obtidos pelo consumo moderado. Isso equivale a uma, duas taças por dia, em média, cerca de 500 ml. Uma das primeiras descobertas é que, em pequenas quantidades, o vinho melhora o HDL do corpo, que é o bom colesterol. Ele contém também os polifenóis, que são substâncias, presentes na uva, que mantêm a atividade celular. Ou seja, diminuem a morte das células e também evitam as reações de oxidação maléficas. O consumo moderado, portanto, está relacionado com a longevidade. Há pesquisas que mostram que, em áreas de consumo de vinho, há menor incidência de câncer, de osteoporose, principalmente em mulheres no período depois da menopausa, e alzheimer.  Esses polifenóis também têm um efeito importante pois evitam a coagulação do sangue. Há uma redução do índice de mortalidade por infarto e doenças cardiovasculares. Na França, por exemplo, onde é grande o consumo de vinho, o índice de infarto é muito menor que em outras regiões do mundo.

E quais os problemas que o consumo de vinho pode acarretar?

Com exagero, o consumo de vinho tem vários malefícios, ligados ao álcool. Há doenças gravíssimas, como a cirrose, por exemplo. São doenças hepáticas, cardíacas, sem falar em aumento da agressividade, violência, acidentes de trânsito. Também há aumento do índice de vários tipos de câncer, problemas ao feto em mulheres gestantes. Gera exatamente o efeito oposto ao consumo moderado.

Há diferença, para a saúde, do consumo de vinho branco e tinto?

Os polifenóis estão presentes, principalmente, na casca e na semente de uva. O vinho branco é feito só com o suco da uva, então tem bem menos polifenóis. Já o vinho tinto, que obtém aquela cor pela casca da fruta, tem bastante concentração dessa substância. A proteção é bem maior.

Há contra-indicações para o consumo de vinho?

A ingestão de vinho deve ser feita por pessoas com boas condições de saúde. Pessoas com problemas hepáticos, diabetes, intolerância ao álcool, alterações metabólicas não devem tomar.

 

Share

Especialistas debatem medicina de urgência

Publicado em Notícias
29 de junho de 2011

Começaram nesta quarta-feira, 29, as atividades da 9ª Semana de Medicina de Urgência da Faculdade de Medicina da UFMG. O evento engloba palestras e apresentações de casos clínicos, com a participação de alunos, professores e profissionais da área.

A organização da rede de saúde para a melhoria do atendimento de urgência foi amplamente debatida na manhã de hoje. A professora do Departamento de Cirurgia, Paula Martins, que também coordena o Serviço de Urgência e Emergência da Prefeitura de Belo Horizonte, foi integrante de uma das mesas-redondas. Ela abordou a necessidade de estruturação da rede de saúde, de maneira a atender melhor às demandas e necessidades da população, além da administração eficiente do atendimento de urgência, que identifique as prioridades e encaminhe os pacientes, evitando a superlotação de determinados setores.

Outro convidado da mesa-redonda foi o médico Rasível Reis Júnior, referência técnica na Coordenação de Urgência e Emergência da Secretaria Estadual de Saúde. Segundo ele, o sistema de saúde deve passar por uma reformulação, para sair do modelo fragmentado e passar a interligar todos os setores em uma rede única. “É preciso reunir o atendimento à saúde sob uma linguagem única, definindo melhor os papéis dos pontos de atenção. Esses pontos devem estar integrados, articulados e comprometidos com o resultado conjunto”, afirmou.

Foto - André Brant/SES

Rasível Reis Júnior, referência técnica em urgência e emergência da SES. FOTO: André Brant

A 9ª Semana de Medicina de Urgência é promovida pelos departamentos de Ginecologia e Obstetrícia, Clínica Médica e Cirurgia, e organizada por alunos do 10º período do curso de Medicina, sob coordenação do professor Ênio Pietra. O evento oferece palestras e apresentações até amanhã, 30 de junho.

Veja a programação

Share

Inscrições para o 2º Congresso Nacional de Saúde

Publicado em Centenário, Notícias
29 de junho de 2011

Já é possível se inscrever para participar do 2º Congresso Nacional de Saúde da Faculdade de Medicina da UFMG, que será realizado entre os dias 2 e 5 de novembro no Minascentro, em Belo Horizonte (MG).

Para poder participar, é necessário ter um cadastro no site da Fundep, onde são realizadas as inscrições. Em seguida, o usuário deverá seguir as orientações da página e imprimir o boleto. O prazo vai até 20 de outubro, sendo que, até 15 de agosto, é oferecido desconto. Os valores são divididos em quatro categorias.

Ainda é possível também submeter trabalhos pelo site do Congresso. O prazo vai até 15 de julho.

2º Congresso Nacional de Saúde

O 2º Congresso Nacional de Saúde integra as comemorações do Centenário da Faculdade de Medicina da UFMG. O tema desta edição é  “Políticas de Promoção de Saúde”, com subdivisão em sete eixos:

- Políticas Públicas de Promoção de Saúde

- Políticas de Promoção de Saúde nas Organizações

- Políticas de Promoção de Saúde das Empresas de Saúde Complementar

- Políticas de Promoção à Saúde das Universidades

- Políticas Urbanas da Promoção de Saúde (10ª Conferência Internacional de Saúde Urbana – ICUH 2011)

- Programa de Promoção de Saúde na perspectiva dos indivíduos

- Mídia e a Promoção de Saúde.

A 10ª Conferência Internacional de Saúde Urbana,  realizada pela primeira vez na América Latina, faz parte do 2º Congresso Nacional de Saúde e está com inscrições abertas para trabalhos até 3 de julho.

 

Share

Colônia de Férias no campus Pampulha oferece 170 vagas

Publicado em Notícias
29 de junho de 2011

Continuam abertas as inscrições para a V Colônia de Férias no Campus, que vai acontecer de 25 a 29 de julho, com programação recreativa para filhos de servidores (técnicos, administrativos e docentes), empregados terceirizados e alunos da UFMG, com idade entre 6 e 13 anos, durante as férias escolares.

Neste semestre, serão disponibilizadas 170 vagas. A programação inclui passeios, atividades didáticas e brincadeiras que estimulam o lazer. O tema desta edição é Uma Viagem em Cinco Dias, com foco na apresentação de diferentes manifestações culturais e exploraração de suas diferenças, incentivando o contato e o respeito pela diversidade.

O período para inscrição de crianças que participaram da IV Colônia de Férias se estende até 29 de junho. Para as demais crianças, de 30 de junho a 8 de julho.

Interessados devem apresentar, na sala do Programa de Educação Tutorial (PET) – Educação Física e Lazer, 3º andar da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia (EEFTO) –, no horário das 11h30 às 18h, cópia da certidão de nascimento ou carteira de identidade da criança; cópia da carteira de identidade e comprovante atual de vínculo com a UFMG do responsável (contra-cheque, contrato ou comprovante de matrícula) e foto 3×4 do inscrito, além de preencher ficha de inscrição.

(Com Centro de Comunicação da UFMG)

Share

UFMG recebe R$ 220 mil para livros de pós-graduação

Publicado em Notícias
28 de junho de 2011

A UFMG receberá R$ 221.053,58 da Fapemig, para a aquisição de livros técnicos e científicos de pós-graduação. O montante equivale a 11% dos recursos do edital da fundação.

Em todo o estado, 27 instituições foram beneficiadas.  O valor destinado à UFMG é o maior entre todas. Os outros dois maiores valores couberam à Universidade Federal de Viçosa e à Universidade Federal de Juiz de Fora, que receberão, respectivamente, R$ 216.938,31 e R$ 151.367,85.

Segundo a Fapemig, o edital possibilita a compra de títulos adotados em cursos de pós-graduação stricto sensu regularmente oferecidos por instituições sediadas em Minas Gerais e recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) com nota mínima igual a 3 na última avaliação.

(Com Agência de Notícias da UFMG)

Share

Prazo para inscrever trabalhos na ICUH termina na quinta

Publicado em Centenário, Notícias
27 de junho de 2011

Interessados em apresentar trabalhos durante a 10ª Conferência Internacional de Saúde Urbana (ICUH 2011) devem se apressar. O prazo para as inscrições termina na quinta-feira, 30 de junho. Até agora, além do Brasil, há inscritos dos Estados Unidos, Canadá, Nepal, Israel, Gana, Etiópia, Paquistão e outros países. O evento será realizado pela primeira vez em Belo Horizonte, entre os dias 1º e 5 de novembro, e faz parte  do 2º Congresso Nacional de Saúde da Faculdade de Medicina da UFMG.

Para participar da ICUH 2011, é necessário fazer um cadastro pelo site. Em seguida, na mesma página, há um link para a submissão de trabalhos, que pode ser feita por profissionais ou estudantes da área da saúde, além de pessoas de outras áreas do conhecimento que tenham como objeto de estudo o espaço urbano.  Cada autor, segundo as normas da Conferência, pode inscrever até dois resumos.

Esta edição terá como tema “Ações da saúde urbana direcionadas à equidade”, que será discutido dentro do eixo “Políticas Urbanas de Promoção da Saúde” do 2º Congresso Nacional de Saúde. Na programação, estão palestras, workshops, exposição de pôsteres, plenárias e visitas a áreas de intervenção urbana que geram impacto na saúde pública de Belo Horizonte.

Prêmio aos 10 melhores

Os dez melhores trabalhos apresentados serão indicados pela organização do ICUH 2011 para submissão de artigos expandidos na publicação internacional “Journal of Urban Health”.

Inscrições 2º Congresso

Já as inscrições de trabalhos para o 2º Congresso Nacional de Saúde da Faculdade de Medicina poderão ser realizadas até o dia 15 de julho pelo site do evento.

Atualizada às 10h25

 

Share

Sai resultado da seleção para o curso em Saúde da Família

Publicado em Notícias
24 de junho de 2011

Os candidatos ao Curso de Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família (CEABSF) já podem conferir o resultado final da seleção do curso. Os nomes dos aprovados estão disponíveis no site do Programa Ágora,  e também nos oito polos de apoio presencial do CEABSF: Araçuaí, Campos Gerais, Corinto, Governador Valadares, Pompéu, Teófilo Otoni, Uberaba e Lagoa Santa.

Os selecionados devem ficar atentos ao período de cadastro na UFMG, que vai de 5 a 12 de julho. Para realizá-lo, basta preencher o formulário , conforme instruções do edital . “É importante lembrar que não realizar o cadastro dentro do prazo implica em perda da vaga na Universidade”, alerta Maria José Grilo, membro da equipe de coordenação do Programa Ágora. Outra recomendação de Maria José é que aqueles que por algum motivo fiquem impedidos de fazer a especialização se manifestem o mais rápido possível, para que a vaga seja preenchida por outro candidato.

O início das aulas está previsto para 1º de agosto, quando os alunos receberão senha e orientações de acesso à plataforma virtual do curso. No dia 6 de agosto será realizado o primeiro encontro presencial, no polo para o qual o aluno se inscreveu.

Números da seleção

Foram, no total, 1059 inscritos às 300 vagas abertas neste semestre. O polo de Lagoa Santa foi o que mais recebeu inscrições: 278 para as 75 vagas oferecidas na localidade. Com 25 vagas disponíveis, Araçuaí foi o município menos procurado, com 78 candidaturas recebidas.

Entre as categorias profissionais que participaram do edital, a dos enfermeiros liderou o ranking de inscrições, com 791 candidatos, seguidos pelos cirurgiões dentistas, com 167 inscritos, e médicos, com 100.

Em sua sexta edição, o CEABSF alcança a marca de 2025 vagas ofertadas, 403 profissionais formados e outros 1228 em processo de qualificação.  Os dados situam a especialização da UFMG entre as maiores em qualificação para a Atenção Primária no país.

Boas vindas

“O curso é a distância, mas a palavra-chave aqui é comunicação. Gostaria, portanto, de receber os 300 novos alunos do CEABSF a partir dessa premissa, convidando-os a estarem sempre em contato conosco e a nos procurarem sempre que tiverem críticas, dúvidas, ou sugestões. Isso ajuda a aprimorar o curso”, diz Edison Corrêa, coordenador do Programa Ágora. Já o coordenador de monitoramento e avaliação do programa, Raphael Aguiar, lembra os aprovados da importância de se levar o curso a sério, com empenho e dedicação. “É interessante reforçar que o CEABSF é financiado com recursos públicos, do SUS, e que, portanto é importante que o aluno assuma o compromisso de ir até o fim da formação. Se ele achar que não dá conta agora, é melhor ceder a vaga para algum colega que possa se beneficiar mais dela e tentar a seleção novamente no próximo semestre”, recomenda.

Outro convite feito pela equipe de coordenação do curso é de que os alunos já comecem a se familiarizar com os recursos disponibilizados pela formação, como a biblioteca virtual . Gratuita e aberta a qualquer pessoa, nela se encontram os módulos didáticos utilizados na especialização, os trabalhos de conclusão de curso realizados pelas turmas anteriores, entre outros materiais do gênero.

 

(Com Assessoria de Comunicação do Nescon)

Share
« anteriorpróximo »