Exercícios na água para gestantes e idosos

Publicado em Divulgação científica
29 de julho de 2013

Programa de rádio desta semana destaca atividades físicas específicas para diversos casos clínicos, entre eles, os problemas respiratórios e cardíacos.

marca-scc1Quem deseja ter a saúde em dia já sabe: a prática de atividade física é fundamental para a prevenção de doenças e a manutenção de um bom condicionamento físico. Nesse sentido, para quem deseja começar a exercitar, as atividades dentro d’água podem ser uma boa alternativa, pois funcionam como uma forma de relaxamento corporal, além de trazer benefícios específicos para diversas situações clínicas.

Para as gestantes, por exemplo, segundo o supervisor técnico do Laboratório do Movimento da Faculdade de Medicina da UFMG, Cássio Vasconcelos, os exercícios aquáticos podem ser um “santo remédio”, já que auxiliam na redução do estresse articular e dos inchaços, problemas comuns durante a gravidez. “A água tem muitas propriedades, uma delas é o empuxo que faz com que a pessoa fique mais leve, então, esse estresse articular é diminuído. Além disso, facilita o retorno venoso, reduzindo assim os inchaços, trabalha o equilíbrio e é um meio muito agradável”, explica.

W

Atividades como a hidroginástica – treinamento que auxilia na melhora da condição física – também podem ser uma ótima opção para os idosos, pois o balanço da água contribui para a melhora da musculatura. Já em casos de traumas e fraturas, o exercício aquático indicado é a hidroterapia, que funciona como um apoio terapêutico na recuperação das lesões. “Como a água diminui o peso da pessoa, ela vai ter mais tranquilidade para trabalhar sobre o membro que não está afetado. Além disso, a água gera uma resistência, tanto trazendo ou levando a perna, nos dois sentidos do movimento”, explica Cássio.

Embora traga muitos benefícios, não são todas as pessoas que podem se exercitar nesse meio. Tanto a hidroginástica, quanto a hidroterapia, estabelecem restrições para alguns casos clínicos. “As pessoas que não podem fazer essas atividades são aquelas que têm algum problema de pele ou que sofrem com alguma alergia ao cloro ou a outra substância que é jogada na piscina. Mulheres que estão com infecção urinária ou quem têm uma hipertensão muito severa também não estão aptas”, alerta o educador físico.

No caso dos cardíacos, o ideal é que os exercícios sejam realizados em grupos reduzidos, onde o professor possa dar mais atenção ao aluno. Outro aspecto que também pode interferir nos benefícios é a temperatura da água. De acordo com Cássio Vasconcelos, se ela estiver muito quente ou fria, a termorregulação do corpo, ou seja, a troca de calor com o meio ambiente, será prejudicada. Ele ainda acrescenta que, especialmente para crianças e idosos, o risco de uma hipo ou hipertermia é mais acentuado. “O ideal é que a temperatura não ultrapasse a casa dos 30° C”, pondera.

Tema da semana

Na série Mexa-se II, especialistas dão dicas dos melhores exercícios físicos para pessoas com problemas respiratórios e cardíacos, além de abordar as atividades mais indicadas para fortalecer os ossos. Confira a programação:

Aeróbios X Anaeróbios – segunda-feira (29/07/2013)

Para o bem do coração – terça-feira (30/07/2013)

Fortalecendo os ossos – quarta-feira (31/07/2013)

Correu, correu e perdeu o ar? – quinta-feira (01/08/2013)

Na água – sexta-feira (02/08/2013)

Sobre o programa de rádio

O Saúde com Ciência é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. De segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h, ouça o programa na rádio UFMG Educativa, 104,5 fm. Ele ainda é veiculado em 30 emissoras de rádio em Minas Gerais. Também é possível conferir as edições pelo site do Saúde com Ciência.

Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG
jornalismo@medicina.ufmg.br




Share