Cuidados básicos evitam acidentes na piscina

Publicado em Divulgação científica
03 de fevereiro de 2014

No Saúde com Ciência, pediatra recomenda cuidado redobrado aos pais durante o verão

marca-scc1Se mineiro não tem mar, ele vai para… clubes e piscinas domiciliares, porque um refrescante mergulho é uma boa alternativa para aliviar o forte calor nesta época do ano. Infelizmente, alguns cuidados básicos às vezes são esquecidos, fazendo com que os banhistas, especialmente as crianças, fiquem mais expostos a acidentes e outros problemas comuns da estação, como a má digestão.

A professora aposentada do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, Juni Carvalho, comenta a importância do acompanhamento dos responsáveis em momentos de lazer à beira da piscina, onde brincadeiras inocentes podem levar a surpresas desagradáveis. “Sempre tem de ter um adulto destacado para tomar conta da criança. E se os pais têm mais de um filho, um fica com uma criança e o outro fica com a outra, porque em um minuto ela pode cair na piscina ou ser empurrada por alguém maior”, ressalta.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Além disso, a pediatra exemplifica que a piscina de um clube, seja ela rasa ou funda, pode trazer riscos de afogamento à criança, principalmente àquela que quer acompanhar o adulto. “Se a criança sabe nadar, mas alguém pula em cima dela ou há um tumulto, ela não tem resistência pra sair de um ponto mais fundo e ir até a superfície, ou mesmo para atravessar uma piscina maior”.

Para Juni Carvalho, apesar de meninas terem mais censo de risco do que meninos, isso não significa que ambos não mereçam cuidados semelhantes, inclusive de terceiros. “Equipamentos que podem prender o cabelo, seja de menina ou menino que tiver um cabelo maior, devem ser vistoriados, não pelos pais, mas por quem disponibilizou o lazer”, opina.

Outra questão que deve ser observada, sobretudo no verão, é a alimentação anterior às atividades na água, já que um alimento mais pesado pode trazer problemas de digestão para adultos e crianças, resultando em constipações, entre outras consequências. “Isso não é mito. Uma parte do nosso sangue é destinada a fazer a digestão do alimento, por isso esse fluxo vai para a região abdominal. Se logo depois você entra em uma água mais fria, você pode, inclusive, desfalecer ou ter um desmaio”, alerta Juni Carvalho. Após a refeição, ela sugere que o indivíduo aguarde cerca de duas horas antes de entrar na água.

Tema da semana

Na série Cuidados no Verão, especialistas da UFMG também debatem temas como hidratação, intoxicação alimentar e pele protegida dos raios solares. Siga a programação:

Crianças na piscina – segunda-feira (03/02/14)

Cuidados com a pele – terça-feira (04/02/14)

É tempo de praia – quarta-feira (05/02/14)

Hidrate-se – quinta-feira (06/02/14)

Intoxicação alimentar – sexta-feira (07/02/14)

Sobre o programa de rádio

O Saúde com Ciência é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. De segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h, ouça o programa na rádio UFMG Educativa, 104,5 FM. Ele ainda é veiculado em 37 emissoras de rádio de Minas Gerais e Paraná. Também é possível conferir as edições pelo site do Saúde com Ciência.

Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG
jornalismo@medicina.ufmg.br




Share