Sobre o Observatório

O Observatório é um espaço para análise sistemática e permanente de eventos, fatos, evidências e acontecimentos sobre a saúde da criança e do adolescente.
Saiba mais.

Saiba Mais.
Trabalho sobre obesidade é destaque na França

Trabalho sobre obesidade infantil desenvolvido no curso de graduação de Medicina da UFMG foi destaque na conferência Sustainable Diet and Food Security (Dieta Sustentável e Segurança alimentar), realizada em Lille, na França, nos dias 28 e 29 de maio.

 

A revisão bibliográfica “Childhood obesity and nutrition transition” (Obesidade infantil e transição nutricional) foi apresentada pela estudante Gisele Novais Matias, que está em intercâmbio pelo programa Ciência sem Fronteiras, do governo federal. O trabalho também teve a participação do estudante Felipe Carvalho Garcia, do 10º período, e foi coordenado pela professora Valéria de Melo, do Departamento de Pediatria.

 

Segundo a professora, o trabalho será publicado pela Revista da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e também despertou o interesse de pesquisadores do Instituto de Ciência e Tecnologia de Alimentos e Nutrição, da Espanha.

 

Obesidade no Brasil


Dentre os dados apresentados no trabalho estão números do IBGE, de 2008 e 2009, que mostram: entre crianças de 5 e 9 anos de idade, há uma taxa de 16,6% para obesidade masculina e 11,8% para obesidade feminina; já na população entre 10 e 19 anos, a taxa é de 5,8% para o sexo masculino e 4% para o sexo feminino. Os números são semelhantes aos de países como Estados Unidos, onde a obesidade já é considerada um sério problema de saúde pública.

 

“A obesidade infantil adianta doenças comuns à vida adulta, como colesterol elevado, diabetes tipo 2 e hipertensão arterial. E existe ainda a tendência que o número de crianças com sobrepeso continue a crescer. Com maior poder de compra e uma vida cada vez mais corrida, a alimentação do brasileiro sofreu mudanças drásticas, e os hábitos alimentares dos pais são refletidos nas crianças”, explica a professora Valéria de Melo .

 

A estudante Gisele Novais Matias explica porque resolveu se dedicar ao tema. “No posto de saúde, vimos muitos casos de obesidade infantil e vimos também que as crianças vêm se alimentando de maneira cada vez pior”.

 

Leia também: Obesidade infantil é tema de fórum virtual

Última atualização em Qui, 13 de Junho de 2013 18:26
 

ObservaPED - Observatório da Saúde da Criança e do Adolescente

Site Produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG