Estudantes de pós-graduação da UFMG terão acesso aos RUs com preços diferenciados

Interessados devem se cadastrar no Programa de Alimentação e solicitar análise socioeconômica na Fump.


17 de agosto de 2023


Estudantes na entrada do Restaurante Setorial I, no campus Pampulha
Usuários na entrada do Restaurante Setorial I, no campus Pampulha: estudantes de pós-graduação agora poderão se alimentar nos bandejões da UFMG pagando preços diferenciados. Foto: Ewerton Martins Ribeiro | UFMG

Estudantes de pós-graduação da UFMG poderão frequentar, ainda em 2023, os restaurantes universitários (RUs) mediante pagamento de preços diferenciados. A medida, que será implementada a partir de setembro, integra a política de permanência para estudantes de pós-graduação da Universidade e é a primeira ação resultante dos trabalhos da Comissão de Implantação da Política de Assistência Estudantil da Pós-graduação da UFMG, instituída pela Reitoria em julho de 2022. Os interessados podem se inscrever em chamada conjunta, lançada pelas pró-reitorias de Pós-graduação (PRPG) e de Assuntos Estudantis (Prae) e pela Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump), que executa a política de assistência estudantil da Universidade.

A manifestação de interesse em participar do Programa de Alimentação é aberta a estudantes de pós-graduação nos níveis de especialização, mestrado e doutorado, regularmente matriculados e frequentes em cursos presenciais. Além do procedimento, que pode ser feito até 31 de agosto, o estudante deve solicitar o estudo socioeconômico para nível IV até 27 de agosto, de acordo com instruções disponíveis no site da Fump. Atualmente, os discentes de pós-graduação que acessam os RUs pagam o preço de custo no valor de R$ 5,60 por refeição. Com a nova política, os estudantes beneficiados vão desembolsar R$ 2 e R$ 2,90, de acordo com a classificação apurada após estudo socioeconômico feito pela Fump. A chamada terá validade de 12 meses. O resultado será divulgado em 5 de setembro, e o início da concessão do benefício está previsto para 18 de setembro.

A reitora Sandra Regina Goulart Almeida sustenta que a medida tomada pela UFMG, com foco na pós-graduação, é mais um avanço da política de acesso e permanência qualificada, mesmo com as dificuldades financeiras enfrentadas nos últimos anos. “Não basta o estudante ter acesso à Universidade. É preciso que a ele também sejam dadas as condições de permanência. E esse entendimento inclui estudantes da educação básica, da graduação e da pós-graduação. Nesse sentido, nós estamos em sintonia com um debate social mais amplo, que engloba a garantia do direito à educação e à universidade pública”, afirma a reitora.

Leia mais no site da UFMG.


Hugo Rafael – Centro de Comunicação da UFMG