Faculdade de Medicina da UFMG lança cartilha para combater o suicídio


12 de setembro de 2019


Conteúdo disponível online ajuda a identificar pessoas em risco, prevenir o ato e incentiva a busca por apoio médico e psicológico

A Faculdade de Medicina da UFMG lançou, nesta semana, a cartilha “Setembro Amarelo – mês de prevenção ao suicídio”. O material, disponível online, é uma leitura importante para profissionais de saúde, pessoas em sofrimento psíquico, amigos e familiares, assim como qualquer um que busca informações sobre prevenção ao suicídio. O conteúdo tem linguagem acessível a todos os públicos e ajuda a identificar pessoas em risco, prevenir o ato, incentiva a busca por apoio médico e psicológico e aponta os caminhos para esse suporte.

A cartilha foi produzida pelo Centro de Comunicação Social (CCS) da Faculdade, com a revisão técnica em psiquiatria da professora do Departamento de Saúde Mental da Instituição, Tatiana Mourão. Segundo a professora, por muito tempo o assunto foi visto com preconceitos, em que a própria imprensa era vedada de vincular informações sobre o suicídio. “Hoje temos uma visão diferente. Em geral, as pessoas que vão cometer suicídio dão sinais e essa divulgação ajuda a identificar esses sinais e mostra que há possibilidade de buscar ajuda”, enfatiza.

A Cartilha tem informações como:

Como ajudar?

Esteja em contato com amigos e familiares também dispostos a auxiliar a pessoa. Estabeleça uma rede social de apoio, que possa diminuir a sensação de solidão e a sensação de desesperança.

O que não dizer a uma pessoa em risco de suicídio?

Palavras e conselhos críticos têm efeito reverso. Ao invés de criar um laço de confiança, aumenta a sensação de inadequação e de incompreensão.
Não diga essas frases a quem está sofrendo: “sua vida é muito boa”, “você não deveria se sentir assim”; “você precisa se esforçar mais (você precisa sair mais, se divertir, voltar à academia, ou qualquer outro imperativo)”; “você ainda não melhorou?”; “veja o caso de outra pessoa, que está pior do que você” ou “isso é sua culpa”.

Quando procurar ajuda?

Procure ajuda quando se sentir triste e desmotivado sem razão; vontade de chorar sem motivo aparente; se sentir pessimista e ter dificuldade de enxergar a realidade de forma positiva; não sentir alegria ou prazer em atividades ou situações que antes lhe interessavam; vivenciar mudanças no sono, seja não conseguir dormir ou dormindo demais, entre outros sinais.

Leia a cartilha aqui.