Acesso interno

Pandemia acelera transformação na educação e videoaulas se tornam realidade

Iniciativas da Faculdade de Medicina da UFMG buscam conteúdo perene, para reverberar mesmo após o Ensino Remoto Emergencial.


12 de fevereiro de 2021 - , , , ,


Captura de tela de videoaula em animação, promovida pelo MPS.

Com a impossibilidade de aulas presenciais durante a pandemia de covid-19, as videoaulas passaram a ser realidade para milhões de alunos no mundo. Em meio às dificuldades e acertos, essa é uma tendência que já existia e foi acelerada pela demanda do Ensino Remoto Emergencial (ERE), em voga na UFMG desde agosto de 2020.

O professor e chefe do Departamento de Medicina Preventiva e Social (MPS), Raphael Aguiar, explica que o modelo tem origens nas últimas décadas, tendo como um dos marcos a Khan Academy, organização sem fins lucrativos fundada por Salman Khan nos Estados Unidos que oferece aulas à distância sobre disciplinas de nível fundamental (como matemática, química e biologia).  

Raphael é professor do MPS e integrante do NDE da Faculdade.

Na Faculdade de Medicina a ideia é que o conteúdo conceitual possa ser gravado, enquanto o restante do processo pedagógico seja feito na presença (mesmo que virtual) de um professor. “Os primeiros degraus da aprendizagem são questões mais factuais e a videoaula pode fazer esse papel. Dá autonomia e gestão do tempo ao aluno, que pode pausar e voltar o conteúdo sem se perder, no momento que preferir”, explica Raphael, que é membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) da Faculdade. 

Exemplos bem sucedidos que podem ser citados estão no próprio MPS e nos Departamentos de Pediatria e Cirurgia da Faculdade, entre outros, além de conteúdos preparatórios para provas de residência e cursos livres feitos à distância.

Assista a oficina do Programa de Desenvolvimento Docente em Saúde Coletiva (PDeSC), do MPS, sobre estratégias para adaptação de conteúdo ao ERE:

Ele ressalta que a aprendizagem não se baseia somente em material gravado e não prescinde de professor. Pelo contrário, as videoaulas podem otimizar a carga horária do curso, liberando os docentes para funções mais “nobres” (ou mais altas na pirâmide de aprendizagem), como responder dúvidas, exercícios, desenvolver habilidades de comparação e julgamento, entre outras.

Captura de tela de videoaula em power point, promovida pelo MPS.

Um ponto fundamental nesse contexto é desmistificar a videoaula. “Existe uma mística de que a videoaula é cara e exige muitos recursos, como estúdio e material profissional. Mas é sim possível desenvolver técnicas para melhorar conteúdo, captação de áudio e vídeo, entre outras questões, na própria casa”, defende. Até aulas com animação podem ser feitas com recursos disponíveis na internet. 

Confira exemplo:

Aumento da produção

Para aumentar capacidade de produção de videoaulas da unidade, a Faculdade de Medicina conta com projeto de ensino dedicado ao tema. Intitulado “Aumento da capacidade de produção de videoaulas por parte do corpo docente da Faculdade de Medicina da UFMG”, a iniciativa faz parte do Programa de Desenvolvimento do Ensino de Graduação (PDEG) e foi pensado pelo Colegiado do curso de Medicina, com coordenação do professor Raphael e da professora do Departamento de Propedêutica Complementar, Taciana Figueiredo. 

O PDEG é uma ação da Pró-Reitoria de Graduação da UFMG, como objetivo de promover a qualidade e a inovação do processo de ensino- aprendizagem–avaliação  nos cursos de graduação da UFMG, com a utilização de estratégias pedagógicas e ou ações para a redução da retenção, da evasão, do tempo de integralização e aumento do rendimento médio na graduação.

Através do Programa, foram selecionados três bolsistas da Medicina. Entre eles, criadores de conteúdo audiovisual de divulgação científica para a internet, como o Cientificando.

Foram feitos dois vídeos curtos para divulgação. Confira:

Para as próximas semanas está sendo organizado um workshop aberto a todos professores da Faculdade de Medicina, de qualquer um dos três cursos, que desejam expandir conhecimentos em produção de videoaulas. Dos participantes, pelo menos um de cada Departamento passará por uma experiência mais profunda, seguindo em contato com os três bolsistas após o evento e preparando videoaula completa de tema da área. Com isso, os organizadores esperam difundir a prática entre mais professores. 

Serão três aulas no workshop, cada uma com duas a quatro horas de conteúdo conceitual e prático. Os temas serão: planejamento e organização; edição de vídeo; edição de áudio. As oficinas ficarão gravadas e poderão ser utilizadas em novas turmas. Os participantes terão certificação. As inscrições serão divulgadas no site e redes sociais da Faculdade de Medicina.

Leia mais:

Acompanhe as notícias sobre o ensino remoto emergencial da UFMG pela página da Faculdade de Medicina dedicada ao tema.