Saúde dos estudantes: uso de telas na adolescência aumentou mais de 240% na pandemia

Convidados do Saúde com Ciência desta semana apontam impactos dos hábitos do isolamento social na saúde de crianças e adolescentes em fase escolar


08 de agosto de 2022 - , , , ,


O isolamento social na pandemia da Covid-19 afetou a saúde de estudantes, principalmente adolescentes em fase escolar. É o que aponta dados de uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia de 2020. O estudo mostrou que vários aspectos relacionados à saúde física e mental apresentaram uma piora nesse período.

Um dos fatores que mais chamou a atenção foi o aumento do uso de telas por crianças e adolescentes. Entre jovens de 12 a 18 anos, por exemplo, a utilização de tecnologias digitais, como computador, televisão e celular, por mais de seis horas diárias, passou de 17,39%, antes da pandemia, para 59,4%.

A estudante do ensino médio, Beatriz Cyrne, de 16 anos, percebeu mudança em relação ao tempo de uso do celular, o que, segundo ela, atrapalha a concentração nos estudos até hoje:

Já na casa da professora do ensino fundamental, Ívina Paoli, está sendo um desafio controlar o tempo de uso de tela dos filhos de 8 e 14 anos:

“Muitas crianças, até o início da pandemia, não tinham nenhum contato com tela. […] E de repente, na pandemia, tivemos aula online. A gente não só ofertou telas, como obrigou essas crianças a passarem boa parte do dia na frente delas. E agora fica a questão de como vamos voltar atrás nisso”, afirma a professora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, Isabela Resende.

O aumento do uso de telas se deve, principalmente, às aulas online durante o período de isolamento. Além disso, outros fatores também contribuíram para que crianças e adolescentes utilizassem mais tecnologias durante a pandemia, como pontua a professora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, Débora Marques:

E para além dos efeitos na saúde física de crianças e adolescentes, as telas ainda podem ter prejuízos na saúde mental, já que, muitas vezes, as mídias criam um cenário de mundo perfeito e impactam os adolescentes. A professora Débora Marques cita os danos que as telas podem trazer para os estudantes:

Para as famílias que perceberem tempo de tela excessivo ou até mesmo mudanças de comportamento de crianças e adolescentes no pós pandemia, é recomendado procurar uma ajuda profissional, como ressalta a professora Isabela Resende:

Saúde com Ciência

O programa de rádio e podcast Saúde com Ciência desta semana aborda a saúde física e mental dos estudantes, como promover cada uma delas e os impactos que a pandemia trouxe para o bem-estar deles.

Saúde com Ciência é produzido pelo Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. Ouça na Rádio UFMG Educativa (104,5 FM) de segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h. Também é possível ouvir o programa pelas principais plataformas de podcasts.


Print Friendly, PDF & Email