Acesso interno

Universidades mineiras defendem isolamento social como medida de enfrentamento da Covid-19

Em nota conjunta dirigida ao governador de Minas, a prefeitos e à sociedade, reitores e reitoras manifestam apoio às orientações das autoridades de saúde e de estudos científicos


01 de abril de 2020 - , , , ,


Bandeiras de Minas, do Brasil e da UFMG hasteadas em frente ao prédio da Reitoria: manifesto às autoridades e à sociedade. Foto: Lucas Braga / UFMG

Os dirigentes das universidades que compõem o Fórum das Instituições Públicas de Ensino Superior do Estado de Minas Gerais (Foripes) e a PUC Minas divulgaram nessa terça-feira, dia 31, uma nota conjunta em que manifestam apoio às orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais e de entidades médicas, sanitárias e científicas em relação à manutenção do isolamento social como “medida indispensável para o enfrentamento da Covid-19”.

Assinado por 20 dirigentes, o manifesto afirma que é “necessário respeitar todas as recomendações técnicas pelos próximos dias para que se possa avaliar o comportamento epidemiológico da doença no Brasil e o consequente impacto das medidas adotadas anteriormente”.

Os reitores defendem a necessidade de intensificar as estratégias de isolamento para conter o avanço da pandemia e ganhar tempo para que o sistema de saúde possa se organizar adequadamente. Outra medida proposta pelos dirigentes é a oferta de mais testes para detecção da covid-19 a fim de evitar que o número de casos seja subestimado.

“Precisamos da determinação das autoridades municipais, estaduais e federais para manter o comércio fechado e as aulas suspensas e atividades remotas. Para aquelas atividades consideradas como legalmente essenciais, é fundamental que as orientações de prevenção e proteção sejam cuidadosamente observadas”, conclamam os reitores no manifesto.

Os dirigentes das universidades mineiras finalizam o documento afirmando que a “voz da ciência deve ser ouvida, o SUS deve ser valorizado e fortalecido, e nosso povo, especialmente os mais carentes, deve ser apoiado economicamente enquanto durar a pandemia”.

Leia aqui a íntegra do manifesto.

Empenho e serenidade

Ao Portal UFMG, a reitora Sandra Regina Goulart Almeida reiterou que o mundo vem enfrentando uma crise sem precedentes, que “tem exigido de nós empenho, esforço, serenidade e, sobretudo, solidariedade”.

“Sabemos que não tem sido fácil lidar com o distanciamento e o isolamento social, mas essas medidas têm sido apontadas pela ciência como absolutamente necessárias. Nas universidades, contamos com suporte de nossos especialistas, que estão entre os principais pesquisadores do Brasil. E eles têm sinalizado com muita propriedade que é preciso continuar seguindo as recomendações da OMS e, sobretudo, fortalecer o Sistema Único de Saúde, um serviço essencial prestado à comunidade, para que ele possa atender as pessoas que dele necessitam”

Sandra Regina Goulart Almeida, reitora da UFMG

Entre os inúmeros esforços empreendidos pela UFMG para contribuir no combate à pandemia, a reitora citou uma campanha de financiamento coletivo, iniciada na semana passada. O objetivo é a compra de materiais, insumos e equipamentos para o Hospital das Clínicas, Hospital Risoleta Tolentino Neves e a UPA Centro- Sul, a realização de testes laboratoriais para diagnóstico da Covid-19, a produção de álcool em gel e álcool glicerinado e a confecção de escudos faciais em impressoras 3D. “Nossa comunidade tem respondido de forma absolutamente solidária a esse momento difícil e desafiador”, conclui Sandra Goulart Almeida.


(Centro de Comunicação Social da UFMG)