Recepção destaca importância da diversidade e afetividade

Abertura do evento de acolhimento destaca importância das amizades estudantis e o combate à discriminação


05 de agosto de 2019 - , , ,


Foto: Carol Morena.

A diversidade dos alunos de Medicina foi o que mais chamou a atenção da caloura Ana Carolina Matosinho, 25 anos, que participou nesta segunda-feira, 5 de agosto, da recepção de calouros do curso. O primeiro contato dela com esse novo universo já quebrou alguns estereótipos. “Com esse contato com veteranos e calouros, achei muito interessante observar a pluralidade do curso. O grupo de alunos é bastante heterogêneo e desconstrói o estereótipo elitista dos cursos de Medicina”, conta a estudante.

Ana Carolina. Foto: Carol Morena.

Junto aos demais alunos que iniciam o curso de Medicina neste semestre, Ana Carolina foi recebida ainda pela manhã no Diretório Acadêmico Alfredo Balena (DAAB), onde participou de um café da manhã coletivo. O momento também foi para reforçar a importância do respeito à diversidade. Na ocasião, representantes do DAAB esclareceram aos novatos que nenhum tipo de discriminação ou intolerância é aceito pela Universidade, e que essas ações devem ser denunciadas. (Confira a cartilha contra assédio).

O tema da diversidade também pode ser observado na própria origem dos novos alunos, oriundos de diferentes regiões do país. “O choque de realidade com Belo Horizonte também foi grande. Não tem a mesma tranquilidade de casa, sou de cidade pacata”, conta o aluno Luiz Henrique Martins, 20 anos, natural de Caetité, Bahia. “Mas a localização da Faculdade me impressionou muito, sabe? Tanto a região hospitalar quanto a estrutura completa da Faculdade de Medicina”, afirma Luiz.

Formação de laços

Diretor da Faculdade de Medicina da UFMG, Humberto José Alves. Foto: Carol Morena.

Já no período da tarde, os calouros foram reunidos no Salão Nobre da Faculdade. Lá, receberam as boas-vindas institucionais, a começar pelo diretor da Instituição, professor Humberto José Alves, que destacou a importância da formação de laços de amizade entre os alunos. “Devemos formar uma rede de proteção, uma rede de auxílio entre nós. Para isso, os amigos são fundamentais, não hesitem em lançar mão deles ao longo de suas vidas”, afirmou o diretor.

“Para vocês, que se formarão para cuidar de pessoas, é igualmente importante saber cuidar de si mesmos”, continuou o diretor. De acordo com ele, um dos elementos mais importantes para o cuidado físico, mental e acadêmico dos alunos é essa rede de apoio, que além dos laços de amizade, deve incluir também os pais e familiares dos alunos, bem como todos os professores e setores da Faculdade.

O professor Humberto Alves também lembrou a dificuldade de passar no vestibular de Medicina da UFMG e parabenizou os alunos pela conquista de ingressar na Instituição. “Vocês sabem melhor do que eu que o vestibular de Medicina é uma malha muito fina, um concurso muito difícil, o mais disputado da UFMG. Então vocês estão de parabéns por chegarem onde chegaram, realmente é um momento de muito orgulho e felicidade”, pontuou.

Nova etapa na vida estudantil

Ingrid Lorrayne dos Reis. Foto: Carol Morena

Para a caloura Ingrid Lorrayne dos Reis, 21 anos, os momentos de dificuldades se transformaram em felicidade com a notícia da aprovação. “Passei na minha quarta tentativa. Entrei na sétima chamada, já estava até me preparando para fazer o Enem de novo, mas quando descobri que havia passado, fiquei radiante e até pulei de alegria”, comemora.

Mateus Chin Huei Lo. Foto: Carol Morena

Mateus Chin Huei Lo, 20 anos, também celebra o ingresso após uma etapa tão competitiva. “Passar na Universidade foi puro alívio” conta o estudante, nascido em Foz do Iguaçu, Paraná. “Agora quero conhecer bem a Faculdade e as pessoas daqui, além de interagir bem com os professores”, ressalta.

Rafael Henrique Elizeu. Foto: Carol Morena

Já Rafael Henrique Elizeu diz que cursar Medicina nem sempre foi seu sonho. “Acredito que foi mais como um objetivo que me propus a alcançar, já que tinha vontade de fazer algo que não fosse engenharia” conta o estudante, que concluiu o ensino médio-técnico no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) na área de exatas. “Então, pensei que Medicina era uma opção. Depois de dois anos que decidi fazer o curso, fui aprovado” completa o jovem.

Carlos Miguel Brum. Foto: Carol Morena

O jovem Carlos Miguel Brum conta que já conhecia um pouco do curso. “Mas chegar aqui e ver as salas de aula, as instalações e espaços da Faculdade, fiquei impressionado” informou o estudante, que vem de Sete Lagoas. Agora, ele planeja se mudar para Belo Horizonte. “Quero ficar mais próximo da Universidade, mergulhar o máximo possível no mundo da Medicina”, conclui.

A programação da recepção aos calouros do segundo semestre continua até 9 de agosto. Para conferir a programação completa, clique aqui.

Confira a galeria:

Fotos: Carol Morena.


Print Friendly, PDF & Email