Acesso interno

Live do ICB aborda planejamento de compostos com potencial para novos medicamentos


19 de outubro de 2021 -


Mulheres na Ciência – Rafaela Salgado foi premiada em 2018 por seus estudos de combate ao vírus da Zika e à doença de Chagas –Foto Divulgação L’Oreal – 2018

Cientistas do mundo todo buscam descobrir novos medicamentos para cura ou tratamento dos mais variados tipos de doenças que afligem a humanidade, como a doença de Chagas e a covid-19, por exemplo.

No Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG, um grupo de pesquisadores tem-se dedicado especialmente ao desenvolvimento de inibidores de proteases, um grupo de proteínas que desempenham funções essenciais para muitos organismos causadores de doenças. Conhecer compostos que inibem a atividade dessas proteases pode auxiliar no controle de determinadas enfermidades.

Com transmissão pelo Youtube do NAPG (www.youtube.com/napgicbufmg), na quarta edição de Seminários, do ICB, na quinta-feira, 28 de outubro, às 17h, a convidada será a professora Rafaela Salgado Ferreira, do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Imunologia e do departamento de mesmo nome (BIQ).

Ela vai apresentar técnicas que combinam biologia, informática e outras disciplinas, utilizadas com o objetivo de encontrar inibidores de cruzipaína, uma cisteíno-protease do Trypanosoma cruzi, causador da doença de Chagas. Também abordará o impacto da descrição de novos subtipos de cruzipaína neste processo e as perspectivas de uso dessa proteína no combate a outras doenças.

Segundo a pesquisadora, nos últimos anos, a UFMG e outros centros de pesquisa mundiais, vem aperfeiçoando uma série de técnicas computacionais e experimentais que permitem o planejamento racional de fármacos. Usando essa metodologia, foi possível otimizar novas classes de inibidores de cruzaína com atividade tripanocida, por exemplo, com muito mais agilidade, já que esse procedimento reduz o número de experimentos e aumenta sua precisão ao simular a interação do medicamento e das proteínas que podem ser alteradas para controle das doenças.

Ela também ensina que seria possível trabalhar com outras classes de proteínas, “mas, dada a importância de proteases para os patógenos que causam diversas doenças, e sua validação como alvo para o desenvolvimento de fármacos, optamos pela busca de inibidores de proteases como linha de pesquisa no nosso grupo”, esclarece.

Seminários ICB UFMG
Transmissão ao vivo, aberta e gratuita
www.youtube.com/c/napgicbufmg
Apresentadora: Profa. Rafaela Salgado – BIQ
Haverá emissão de certificado


ACBio ICB/UFMG