Acesso interno

Saúde mental: voluntários vão cuidar dos profissionais de saúde

Medicina da UFMG e colaboradores recrutam voluntários para prestar atendimentos online gratuitos para profissionais de saúde


    26 de março de 2020 - , ,


    Os profissionais de saúde estão no principal grupo de risco na guerra contra a Covid-19. Só na Itália, 23 médicos já morrerem e quase cinco mil profissionais foram infectados até 26 de março. Como estão na linha de frente na prevenção e tratamento dos infectados pelo coronavírus, além de todo cuidado com equipamentos de proteção e procedimentos médicos, esses profissionais precisam estar com a saúde mental reforçada, para que possam continuar salvando vidas, mesmo sabendo que a sua própria está em jogo.

    Pensando na importância de fortalecer a saúde mental desses profissionais, a Faculdade de Medicina da UFMG e colaboradores convocam voluntários em gesto de união e solidariedade, para atendimento em saúde mental.

    Qualquer profissional de saúde poderá ser voluntário do projeto “TelePAN Saúde – Medicina UFMG” e atuar no atendimento e consultoria aos que trabalham direto com pacientes com infecção grave por coronavírus. Entre eles estão os profissionais que atuam no Centro de Unidade Intensiva (CTI), Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e urgência em cuidados primárias e secundários.

    O serviço será ofertado online, gratuitamente, por meio de plataforma de teleconsultas da Faculdade de Medicina UFMG. A previsão é que os atendimentos iniciem já no próximo mês.

    “É um projeto de todos na UFMG e outras instituições, é um momento de união e solidariedade, todos podem ajudar. Esperamos recrutar o maior número possível”, enfatiza o coordenador do projeto e professor do Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Medicina da UFMG, Helian Nunes.

    As inscrições para voluntários poderão ser feitas neste link e ficarão abertas durante todo o período da pandemia.

    Como será?

    Os voluntários serão capacitados para atendimento online de qualquer local que tenha conexão com a internet. Eles receberão email com a solicitação de atendimento e terão até 72 horas para responder através da plataforma de teleconsultas.

    Os recrutados que não tiverem indicação para atuar no atendimento em saúde mental serão indicados para outras ações educativas e preventivas em saúde. A ideia é que, além da divulgação dos serviços em mídias digitais, os gestores das equipes de profissionais divulguem a plataforma para suas equipes.

    “Precisamos contribuir para a saúde mental e equilíbrio emocional, para que esses profissionais possam continuar realizando os procedimentos em saúde de uma forma eficaz e atenta, aumentando a segurança e os resultados positivos das intervenções em saúde”, reforça Helian.

    Perspectivas

    O projeto ficará disponível até o final da pandemia. Mas, de acordo com o coordenador das ações, a intenção é que as atividades continuem para assistir pessoas com algum tipo de sequela em saúde mental deixada pela pandemia.

    “E também para populações que, fora da pandemia, apresentem dificuldade para acesso aos cuidados em saúde mental coletiva e saúde em geral”, completa.

    Colaboradores

    São colaboradores e parceiros dessa iniciativa o Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Medicina da UFMG; Centro de Tecnologia em Saúde da Faculdade de Medicina da UFMG (CETES); Associação Brasileira de Neuropsiquiatria (ABNP); Ambulatório de Saúde Mental do Trabalhador (SEST/HC); Residência de Psiquiatria Forense do Instituto Raul Soares (Fhemig); Equipe interprofissional do Curso de Fisioterapia da UFMG; Núcleo de Apoio Psicopedagógico aos Estudantes da Faculdade de Medicina da UFMG (Napem); Grupo de Pesquisa em Saúde do Trabalhador do Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Medicina da UFMG; Internato em Saúde Coletiva da UFMG; entre outros.