Acesso interno

MonitoraCovid UFMG foi atualizado e, agora, é importante que toda a comunidade responda


19 de julho de 2021 - , , , , , ,


O MonitoraCovid UFMG foi desenvolvido para acompanhar pessoas da comunidade universitária em atividades presenciais e semipresenciais durante a pandemia. Professores, estudantes, funcionários terceirizados e servidores técnico-administrativos devem preencher o questionário de autoverificação de sintomas antes de comparecer às suas unidades. Mas, agora com novas atualizações, é importante que todos, mesmo em home office, acessem para comunicar o estado vacinal, em caso de teste positivo para covid-19 ou para ter acesso ao Telecovid-19 se apresentar sintomas.

“O preenchimento do questionário continua sendo necessário toda vez que a pessoa for comparecer presencialmente, sentido ou não alguma coisa. Mas se não for essa situação, não é preciso entrar todo dia no Monitora. Apenas quando houver atualização sobre a imunização, se recebeu a primeira ou segunda dose, por exemplo, ou quando precisar acessar o TeleCovid-19, independente de estar em atividades remotas ou presenciais”, ressalta Cristina Alvim, professora da Faculdade de Medicina e coordenadora do Comitê de Enfrentamento do Novo Coronavírus da UFMG.

Ela explica que o preenchimento diário tem o objetivo de fazer a autoverificação de sintomas e de conscientização dos novos hábitos. “Se antes era comum trabalhar gripado, por exemplo, de só não comparecer quanto estivesse passando muito mal, com o coronavírus é preciso refletir que não pode ir nem com sintomas leves”, afirma Cristina.

Além disso, ela exemplifica a possibilidade de uma pessoa não se atentar à dor de cabeça leve, náusea ou tosse discreta, por exemplo, continuar comparecendo ao trabalho, sendo que dias depois há a piora dos sintomas e é diagnosticada com covid-19. Se nesses dias ela teve contato com outras pessoas, pode ter transmitido o vírus. “Por isso também é importante que todos preencham. Quando essa pessoa avisar que testou positivo, podemos fazer a busca ativa dos contatos e tomar as medidas de controle de surto, suspender as atividades do setor ou da turma, por exemplo”

Entenda o fluxo:

Se não está trabalhando presencialmente:

Preenche o MonitoraCovid UFMG uma vez para informar se já fui imunizado ou não. E outra vez quando houver novidade sobre essa vacinação (recebeu a 1ª, 2ª ou a dose única)

Preenche o MonitoraCovid UFMG quando estiver com sintomas de covid-19 para acessar o TeleCovid-19 e acompanhar a evolução ou se desejar informar o resultado positivo do teste de diagnóstico

Se trabalha presencialmente às vezes ou sempre:

“Com o preenchimento do questionário, a gente consegue acompanhar a evolução do que está acontecendo na nossa comunidade, avaliar tanto na visão geral da universidade quanto por unidades, departamento e cursos”, pontua Cristina Alvim que acrescenta:

“Desde março estamos acompanhando a comunidade. A gente tinha os relatos pontuais do que estava acontecendo sem ter uma noção do todo e, agora a gente começa a ter, inclusive para dizer que os espaços da UFMG estão seguros. A gente observa que não há uma diferença significativa entre os casos notificados em pessoas em atividades presencial e em atividade remota, então nos faz pensar que os cuidados que a UFMG tem tomado têm sido adequados para não permitir a ocorrência de surtos. Mas essa análise é com os dados que temos, por isso é interessante todas as pessoas aderirem e informarem a situação”.

Telecovid-19

O Telecovid-19 tem quatro níveis de atendimento. O primeiro é um chatbot, programa de computador que atende o usuário e identifica a sua demanda através dos sintomas relatados. A professora Cristina Alvim lembra que nesse momento é preciso informar o número correto de telefone e ficar atento à ligação do profissional de saúde, o que acontece em até 24 horas seguindo a ordem de prioridade para casos mais graves.

Com base na avaliação do Telecovid, o profissional de saúde poderá gerar um atestado de afastamento da atividade presencial para o trabalhador e agendar, nos casos suspeitos, um teste RT-PCR. Em caso de exame negativo, ficará 10 dias afastado por síndrome gripal. No caso de positivo, além dos 10 dias tem que suspender as atividades dos contatos.

Antes, os testes de RT-PCR eram indicados apenas aos membros da comunidade que apresentassem sintomas. Mas com o novo plano de retorno para atividades que não se adaptam ao modo remoto houve ampliação dos exames para todos com os quais a pessoa teve contato em atividade presencial na Universidade, mesmo se estiverem assintomáticos.

Como acessar o MonitoraCovid

Ao acessar monitoracovid.ufmg.br, é possível clicar direto em o login e entrar com os dados do MinhaUFMG para quem já é cadastrado.

Os terceirizados ou demais que ainda não tem esse login, devem clicar em “Registrar” para se cadastrar no sistema e ter acesso ao questionário e ao TeleCovid-19.