Acesso interno

Turma 55 de Medicina celebra 50 anos de formatura


13 de maio de 2022 - , ,


Mesa de honra do Junileu de Ouro da Turma 55 de Medicina. Da esquerda para direita: professor Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro; a diretora da Faculdade, professora Alamanda Kfoury; e Ana Maria Deotti Silva.

Nesta sexta-feira, 13 de maio, a turma de Medicina formada em 1970 celebrou o Jubileu de Ouro na Faculdade de Medicina da UFMG. A solenidade, que foi adiada devido à pandemia de covid-19, contou com a diretora da Instituição, professora Alamanda Kfoury, o professor homenageado Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro e a Ana Maria Deotti Silva, representando o professor Alcino Lázaro, compondo a mesa de honra.

 “Vocês nos inspiram nesses50 anos de atividades médicas. Rebeldes dos anos 70 que enfrentaram tudo com determinação e coragem, especialmente as 16 mulheres dessa turma que, direta ou indiretamente, nos fortaleceram e inspiraram a chegar até aqui. Todos vocês se transformaram em nossos faróis em todas as áreas onde atuam”, agradeceu Alamanda, que enfatizou que a Faculdade de Medicina continua de portas abertas para os egressos. Ela ainda agradeceu a doação da turma para o Espaço Alzira Reis e a convidou para retornar na inauguração.

De acordo com a jubilanda Elizabeth Costa Dias, em seu pronunciamento, essa doação de um conjunto mobiliário planejado para o Espaço foi uma expressão concreta da gratidão pela acolhida da Faculdade de Medicina e pela viabilização da concretização do sonho em se tornarem médicos. “A homenagem à pioneira Alzira Reis tem significado especial para as mulheres dessa turma”, destacou.

“As 16 mulheres da Med70 constituem um grupo muito especial. Venceram inúmeras barreiras para realizar o sonho de se tornarem médicas, em um contexto de dificuldades e preconceitos familiares, institucionais e para inserção no mercado de trabalho. E merecem reconhecimento pela persistência, coragem e contribuições nos respectivos campos da vida pessoal e profissional, abrindo caminhos para as novas gerações”, declarou a professora e jubilanda Elizabeth Costa Dias, que despediu com um até breve, desejando o reencontro da turma em 2030, no Jubileu de Diamante.

O professor Ernesto afirmou ser uma honra estar na cerimônia e brincou com os jubilandos dizendo que poderiam passar por um trote neste dia, já que continuavam com a “cara de calouros”. Ele ainda comentou saudoso sobre o professor Alcino Lázaro.

O orador da turma, Nelson Andrade Rodrigues, levou o seu discurso original, no papel já amarelado e com as anotações feitas na época da formatura. Ao relembrar suas palavras, deu destaque ao fato de que o agradecimento à família agora deveria ser feito às esposas, maridos, filhos, netos e, inclusive, bisnetos. Aproveitou à passagem para, em nome da sua esposa, agradecer a todos pelo companheirismo aos jubilando por toda a trajetória.