Acesso interno

Faculdade de Medicina inaugura Unidade de Pesquisa Clínica em Vacinas

UPqVac já recebe voluntários de estudos de vacinas contra covid-19 e HIV em nova estrutura, que melhora as condições para realização


04 de agosto de 2021


Equipe presente na inauguração do espaço, que melhora condições para pesquisas com vacinas. Foto: CCS/Faculdade de Medicina da UFMG

Boa notícia para o futuro da ciência no Brasil: a Faculdade de Medicina da UFMG inaugura um novo centro clínico para testes com vacinas em Belo Horizonte. Trata-se da Unidade de Pesquisa Clínica em Vacinas (UPqVac), que promete ampliar a capacidade nacional de testes com voluntários para novos imunizantes e tratamentos. A inauguração foi realizada nesta quarta-feira, dia 4 de agosto. 

Inauguração do novo espaço foi realizada nesta quarta-feira. Estiveram presentes o corpo clínico da UPqVAC, a diretoria da Faculdade de Medicina e setores administrativos da Faculdade que estiveram ligados ao projeto, como a Arquitetura e a Superintendência Administrativa. Foto: CCS/Faculdade de Medicina da UFMG

O novo centro está instalado em espaço do Campus Saúde, na área hospitalar, com financiamento majoritário do National Institute of Health (agência governamental do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos), via rede Covid-19 Prevention Network (CoVPN), a mesma responsável pelos testes com a vacina contra a covid da Janssen, que conta com participação da Faculdade de Medicina com 470 voluntários.  

O diretor da Faculdade de Medicina da UFMG, Humberto José Alves, destacou que a inauguração do espaço é uma forma de colaborar com a sociedade com o melhor que a Universidade pode oferecer. “O legado e história que esse tipo de trabalho deixa ajuda a sociedade com o melhor do que nós temos. No pior momento de apoio e financiamento à pesquisa no país, nós devolvemos à sociedade e mostramos como somos capazes de ajudar à saúde e todos”, afirmou.

Estiveram presentes o corpo clínico da UPqVAC, a diretoria da Faculdade de Medicina e setores administrativos da Faculdade que estiveram ligados ao projeto, como a Arquitetura e a Superintendência Administrativa.

UPqVAC

Unidade tem área de 168,5 m². Foto: CCS/Faculdade de Medicina da UFMG

A estrutura conta com dois consultórios, área de atendimento e salas de observação para a realização de testes com voluntários, que a princípio serão voltados especialmente para o combate à covid-19. Também haverá testes clínicos com imunizantes contra o HIV/AIDS, como parte do projeto Mosaico, que conta com 120 voluntários, e para o vírus sincicial respiratório (VSR), que causa infecções das vias respiratórias e pulmões em crianças pequenas ou idosos, e pacientes imunossuprimidos, com câncer ou transplantados. Novos estudos com imunizantes e tratamentos com anticorpos monoclonais e antivirais injetáveis, orais e inalatórios estão no radar para os próximos meses.

“Tínhamos a necessidade de ter um espaço adequado para a condução desse tipo de estudo. A Unidade vai fortalecer as pesquisas ao criar uma área específica para estudos clínicos e de alta qualidade”, comenta o coordenador da nova unidade e professor Titular, Jorge Andrade Pinto, do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina.

Para o professor, é um “orgulho poder realizar ensaios clínicos em espaço apropriado”, graças ao apoio da Faculdade de Medicina e da Biblioteca Universitária da UFMG, que cedeu o espaço.

Estrutura

Estrutura conta com dois consultórios, área de atendimento e salas de observação para a realização de testes com voluntários, que a princípio serão voltados especialmente para o combate à covid-19. Foto: Vitor Maia/Faculdade de Medicina da UFMG

Com 168,5 m², a utilização do espaço envolve uma equipe de pesquisa interdepartamental, com cerca de 30 profissionais, que são dos departamentos da Faculdade de Clínica Médica, Obstetrícia e Ginecologia e Pediatria, como os professores Flávia Ferreira, Júlia Caporali, Helena Duani, Mário Dias e Patrícia Teixeira e série de outros profissionais das equipes de farmácia, enfermagem, biologia, dados e equipe de não docentes e pesquisadores. Também conta com a parceria do Laboratório Central. Além do corpo clínico, o projeto conta com assistente social e equipe comunitária, composta pelo público dos ensaios clínicos.

“São os agentes e educadores comunitários de saúde que  tornam o ambiente ao mesmo tempo confortável e acolhedor para nossos voluntários e com as melhores condições de segurança”, enfatiza o professor.
Por estar instalada em espaço cedido pela Biblioteca Universitária da UFMG, no prédio da Biblioteca J. Baeta Vianna no Campus Saúde, a UPqVac futuramente deixará um legado de salas para uso coletivo para os alunos que frequentam o espaço.

Leia também:
Medicina da UFMG inicia estudo com anticorpos monoclonais para tratamento da covid-19