Acesso interno

Imunização contra influenza ajuda prevenir sobrecarga ainda maior do sistema de saúde

Imunização também é importante para diferenciar diagnóstico. Campanha de vacinação vai até 9 de julho


27 de abril de 2021 - , , , , , ,


Maria Beatriz Aquino*

A 23º Campanha Nacional de Vacinação contra o Vírus Influenza já começou e a meta do Programa de Imunização da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) é vacinar 90% da população prioritária, cerca de 8,4 milhões de pessoas em Minas Gerais. Mas com a pandemia, algumas dúvidas têm surgido sobre a importância dessa imunização e como ela se relaciona com as vacinas anti covid-19.

A estratégia para vacinação contra a influenza foi integrada ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), em 1999, com o objetivo de reduzir o internações por complicações da gripe e, até mesmo, óbitos na população.

Em entrevista concedida ao programa de rádio Saúde com Ciência, na série “Vacinação no Brasil: conheça sua história e importância”, o professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, Ênio Pietra Pedroso, esclarece que a vacina contra o vírus influenza constitui um modelo semelhante de vacinas para outros agentes. Isso porque o imunizante é feito com os mesmos princípios de vírus inativado utilizados na Coronavac, por exemplo. “Portanto não possui o vírus vivo”, acrescenta Ênio.

No entanto, se imunizar contra o vírus da gripe não significa estar imune também à Covid. A proteção contra o vírus influenza reduz, apenas, o seu papel como desencadeador de doença respiratória aguda. Isso ajudaria a reduzir internações por causa da gripe, o que evitaria a maior sobrecarrega no sistema de saúde.

Gripe x Covid-19

A gripe é uma infecção viral do aparelho respiratório provocada pelo vírus influenza, que ataca os pulmões, o nariz e a garganta. Assim como em casos de infecções causadas pelo novo coronavírus, os sintomas incluem febre, calafrios, tosse, dores de cabeça e fadiga. Por isso, as doenças podem ser facilmente confundidas.

O que se sabe até o momento é que se prevenir contra o influenza durante esse período de alto contágio pela Covid ajuda a diferenciar o diagnóstico das duas doenças. Descartando a gripe nas pessoas imunizadas contra a influenza, fica mais fácil distinguir essas doenças e, com isso, diminuir possível demanda nas Unidades de Saúde.

Estudo associa vacina da gripe a menor ocorrência de Covid

Uma dúvida que tem sido levantada, especialmente após publicação de estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, é sobre a possibilidade do imunizante contra a gripe ter algum efeito preventivo, também, contra a Covid-19, uma vez que os sintomas das duas doenças são semelhantes.

O estudo observou menos casos de Covid-19 em pacientes imunizados contra a gripe. Para esse resultado, os autores da pesquisa levantaram a hipótese de que os pacientes vacinados contra a influenza tenham mantido melhores hábitos de prevenção contra a Covid e, por isso, se infectado menos.

Outra explicação é de que a vacina contra a gripe evita a sobrecarga do sistema respiratório e, com isso, fortalece a primeira linha de defesa do sistema imune.

No entanto, o professor Ênio Pedroso esclarece que ainda é cedo para considerar os resultados obtidos nessa pesquisa, uma vez que esse é um estudo retrospectivo observacional e não permite confirmar essa associação. Ele também considera que todos os dados científicos relacionados à doença requerem mais tempo para serem consolidados.

Para que os resultados da pesquisa realizada em Michigan sejam referenciais e considerados para outras populações ao redor do mundo, é necessário que se amplie os estudos até outros países e se inclua outras regiões.

“Os estudos regionais têm maior influência regional, mas na dependência de sua expansão em números e inclusão de outras regiões passam a ter importância generalizada. Por isso, os estudos precisam ser confirmados e criticados e realizados em outras situações etnico-ambientais”, defende o professor.

Para se prevenir

A 23º Campanha Nacional de Vacinação contra o Vírus Influenza se estende até 9 de julho. Neste ano, o programa foi dividido em três fases, que contempla grupos definidos pelo Ministério da Saúde para evitar aglomerações nas Unidades de Saúde. Saiba quando e onde se vacinar.

Saúde com Ciência

Quer saber mais sobre a importância da vacinação, como esse processo começou no Brasil, ou ainda, se o SUS cobre todas as vacinas necessárias para os brasileiros? Essas e outras informações estão no programa de rádio Saúde com Ciênciadessa semana, na série “Vacinação no Brasil: conheça sua história e importância”.

Saúde com Ciência é produzido pelo Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. Ouça na Rádio UFMG Educativa (104,5 FM) de segunda a quinta-feira, às 5h, 8h e 18h. Também é possível ouvir o programa pelo serviço de streaming Spotify.


Leia também: Semana de Vacinação nas Américas: importância da vacinação, e não apenas contra a Covid

*Maria Beatriz Aquino – estagiária de Jornalismo
Edição: Karla Scarmigiat