Acesso interno

Projetos criam cartilhas online para apoio a pessoas com doenças crônicas

Série de reportagens apresenta trabalho de grupos de apoio aos pacientes com artrite reumatoide e esclerose sistêmica


28 de julho de 2020 - , , ,


Doenças crônicas como a artrite reumatoide e esclerose sistêmica demandam alguns cuidados rotineiros para evitar perdas funcionais e melhorar a qualidade de vida. Orientar sobre esses cuidados é dos objetivos dos grupos de apoio aos pacientes da Faculdade de Medicina da UFMG, que têm encontrado soluções online para os tempos de isolamento social.

Um deles é o projeto de extensão da Faculdade “Grupo de orientação aos pacientes com artrite reumatoide”, coordenado pela professora do Departamento de Aparelho Locomotor da Faculdade de Medicina, Debora Cerqueira Calderaro, e em andamento desde 2018 no Hospital das Clínicas (HC) da UFMG.

“O grupo de apoio é um espaço de orientação de questões acerca da doença que usualmente não são abordadas ou eficientemente esclarecidas durante atendimentos usuais de saúde, além de permitir o compartilhamento de vivências entre esses pacientes e uma maior integração social dos mesmos”, explica a professora

Série de reportagens “Janelas: da Universidade para a comunidade” traz exemplos de projetos de pesquisa, ensino e extensão da Faculdade de Medicina que tem como objetivo contribuir com o desenvolvimento da sociedade.

Alternativas

Com o início da pandemia, as atividades presenciais do grupo no HC precisaram ser interrompidas para preservar os pacientes e voluntários de risco adicional de infecção pelo novo coronavírus.

No entanto, o grupo manteve contato telefônico com os participantes, que são cerca de 40, para checar como eles estão e prestar esclarecimentos adicionais de dúvidas e orientações. Além disso, o grupo tem disponibilizado, no ambiente virtual, materiais educativos que antes eram distribuídos durante as reuniões semanais do grupo.

Cartilha

Para compartilha algumas recomendações de cuidados para a proteção articular e preservação de energia, o projeto disponibiliza a versão virtual e atualizada da cartilha Orientação da Terapia Ocupacional para pessoas com artrite reumatoide”.

Segundo definição do material, as medidas de proteção articular visam “prevenir lesão das articulações e de suas estruturas, evitando processos inflamatórios”. Já a conservação de energia visa a “realização das tarefas cotidianas com equilíbrio entre repouso e atividade, evitando o cansaço”.

Print de imagem da cartilha “Orientação da Terapia Ocupacional para pessoas com artrite reumatoide”

A artrite reumatoide é uma doença inflamatória crônica sistêmica e tem como principal manifestação a inflamação da membrana sinovial – tecido que reveste a parte interna de algumas articulações. A doença acomete cerca de 1% da população mundial, geralmente mulheres entre a quarta e sexta décadas de vida, e provoca dor e fadiga.

Nesta época do ano, de temperaturas mais baixas, a sensação de dor pode ser ainda maior. Isso porque a musculatura se retrai com frio e pode trazer desconforto quando o músculo é alongado. Por isso, especialmente no inverno, cuidados para a proteção articular e preservação de energia devem ser redobrados.

Esclerose sistêmica

Outro projeto coordenado pela professora Debora Cerqueira Calderaro é o “Grupo de orientação aos pacientes com Esclerose Sistêmica”. O grupo iniciaria as atividades presenciais em março, mas também precisou pensar em alternativas para o meio digital.

Uma delas foi a criação da cartilha onlineOrientações da terapia ocupacional para pessoas com esclerose sistêmica”. De acordo com a professora, além de auxiliar os pacientes, o material também ajuda a implementar a preparação do grupo de orientação para quando as atividades puderem ser iniciadas presencialmente.

Saiba mais sobre a cartilha aqui.

O QUE É? A esclerose sistêmica é uma doença autoimune, inflamatória e crônica que acomete a pele e pequenos vasos sanguíneos e articulações, com possibilidade de evoluir para fibrose e comprometimento de órgãos internos. Estima-se uma incidência de 0,6 a 19 casos por ano para milhão de habitantes no Brasil, com uma frequência 4-9 vezes maior em mulheres e pico de incidência entre 30 e 50 anos

Equipes

Participam do Grupo de orientação aos pacientes com Esclerose Sistêmica: professoras do Departamento do Aparelho Locomotor Débora Cerqueira Calderaro e Gilda Aparecida Ferreira; as médicas reumatologistas de vínculo com a UFMG, Flávia Patrícia Sena Teixeira Santos e Maria Raquel da Costa Pinto; as terapeutas ocupacionais da equipe multidisciplinar do HC/UFMG Júnia Amorim Andrade e Liliane Morais Amaral. e os acadêmicos de graduação em Medicina, Caio Carvalhais Chaves e Terapia Ocupacional, Fernanda Danielle Silva Oliveira e Ana Letícia Fontes  de Oliveira Marcelino. 

Participam do Grupo de orientação aos pacientes com  artrite reumatoide: professoras do Departamento do Aparelho Locomotor Débora Cerqueira Calderaro e Adriana Maria Kakehasi; a médica reumatologista de vínculo UFMG Maria Raquel da Costa Pinto e os médicos reumatologistas de vínculo EBSEHR Ricardo Cruz Lage, Maria Fernanda Brandão Resende Guimarães; as terapeutas ocupacionais da equipe multidisciplinar do HC/UFMG Júnia Amorim Andrade e Liliane Morais Amaral; e os acadêmicos de graduação em Medicina, Caio Carvalhais Chaves e Terapia Ocupacional, Fernanda Danielle Silva Oliveira e Ana Letícia Fontes  de Oliveira Marcelino, Vívian Guerra de Faria e Tamires Rodrigues Pimentel da Silva. 

Projeto Janelas: da Universidade para a comunidade veiculará, a cada mês, exemplos de projetos de pesquisa, ensino e extensão da Faculdade de Medicina para mostrar como contribuem para o desenvolvimento da sociedade.