Relacionamentos abusivos podem originar fadiga, dores locais e alteração de hormônios

Em entrevista ao Saúde com Ciência, especialista afirma que as consequências físicas do abuso podem se assemelhar a sintomas gripais


29 de novembro de 2022 - , , , ,


*Eduarda Sperandio

Os relacionamentos abusivos possuem potencial para ocasionar sérios prejuízos na saúde mental da vítima, como depressão, ansiedade e crises de pânico. Além do desenvolvimento de sintomas e doenças de padrão psicológico, sinais físicos são comuns no enfrentamento da situação. Entre eles, estão dores de cabeça, indisposição, mal-estar, náusea ou alterações de hormônios e proteínas, isto é, indícios comparáveis até mesmo com sintomas gripais.

Se classifica como relação abusiva qualquer vínculo entre pessoas em que exista violência ou abuso, como a psicológica, física, patrimonial, moral ou sexual.

Segundo o professor do Departamento de Saúde Mental da Faculdade de Medicina da UFMG, Rodrigo Nicolato, convidado do Saúde com Ciência desta semana, ao ser exposto a uma condição de humilhação, vulnerabilidade e estresse, cada indivíduo reage de uma forma. Então, a tendência é que as vítimas procurem “válvulas de escape”, ou seja, meios de auxílio para enfrentamento da circunstância.

“A válvula de escape pode ser comer ou beber em demasia, parar de se alimentar, ter dores no corpo, ter insônia, gerando mais dores ainda. A pessoa pode ter comprometimento da atenção e concentração, já que está tentando sobreviver àquela situação, fazendo com que seu rendimento cognitivo no trabalho ou no estudo seja prejudicado”, afirma Rodrigo.

Identificação de uma relação abusiva

O reconhecimento de um relacionamento tóxico não é simples. No entanto, existem sinais possíveis de serem notados em alguns contextos, como a repressão, proibição ou constrangimento do(a) parceiro(a).

“As situações que margeiam um vínculo de medo, poder ou obrigatoriedade, em que a vítima começa a ter medo do olhar e do que vai escutar depois, que começam a cercear a liberdade psicológica das pessoas de se manifestar, de se exibir, de serem do jeito que são, podem identificar um vínculo abusivo”, declara o especialista.

Portanto, se há percepção de indícios de abuso em qualquer relação, é importante procurar ajuda de amigos, familiares ou até da instância policial ou jurídica. No caso de violência contra a mulher, a Central de Atendimento à Mulher está disponível, gratuitamente, 24 horas por dia para encaminhamento de denúncias pelo número 180.

“Acho que as reuniões familiares são muito importantes. Mas claro, sem entrar no desespero, deixando a pessoa falar, sem julgamentos. Ter pessoas de confiança para contar é essencial neste momento”, conclui Rodrigo Nicolato.

Saúde com Ciência

O programa de rádio Saúde com Ciência desta semana vai abordar sobre os relacionamentos abusivos, as características deles e da pessoa abusadora.

Saúde com Ciência é produzido pelo Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. Ouça na Rádio UFMG Educativa (104,5 FM) de segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h. Também é possível ouvir o programa pelas principais plataformas de podcasts.

*Eduarda Sperandio – estagiária de jornalismo

Edição: Giovana Maldini


Print Friendly, PDF & Email