Acesso interno

Interesse por informações sobre saúde aumenta durante pandemia

Site da Faculdade de Medicina registra o dobro de acessos da média, com foco em informações sobre coronavírus.


23 de abril de 2020 - ,


Conteúdos sobre a covid-19 estão por todos as partes, o dia inteiro, o que reforça a necessidade de cuidados com a saúde mental. Foto: CCS/Faculdade de Medicina.

Durante uma crise relacionada à saúde, é de se esperar o aumento do interesse geral por informações confiáveis do setor. Um número que ilustra isso é o aumento do fluxo no site da Faculdade de Medicina da UFMG, que registrou o dobro da média de acessos após o início da pandemia de covid-19, mesmo com aulas presenciais suspensas, passando de 20 mil visitantes semanais para cerca de 40 mil.

Durante o ano de 2019, até o início das aulas em 2020, a maioria dos acessos ocorria em páginas e notícias ligadas ao cotidiano acadêmico da Instituição – como os programas de pós-graduação, matrículas, entre outras. Após o começo da pandemia e a suspensão das aulas presenciais no dia 18 de março, houve crescimento para cerca de 30 mil acessos semanais, número novamente superado em abril, com aproximadamente 40 mil leitores. Nesse período, 70% dos conteúdos mais lidos eram notícias e reportagens sobre a covid-19.

Aumento observado após o início da pandemia ilustra o interesse público por informações.

“O interesse geral da população por boas informações precisa ser atendido pelas instituições públicas do setor, além dos veículos de mídia. Nesse sentido, a Faculdade de Medicina tem se esforçado em informar com qualidade e credibilidade, por meio da qualificação de nossos docentes”, avalia o professor e diretor da unidade, Humberto José Alves, que também destaca os diversos projetos de pesquisa, ensino e extensão sobre a covid-19 que beneficiam diretamente a sociedade. 

Entre os conteúdos mais acessados pelo público após o início da pandemia, a webaula sobre covid-19, ministrada pelo professor do Departamento de Clínica Médica, Unaí Tupinambás, e a reportagem que levanta mitos e verdades sobre o H1N1 se destacaram, com dezenas de milhares de visualizações cada. O conteúdo sobre H1N1 teve 23 mil acessos nos 15 primeiros dias após sua publicação. Outro conteúdo sobre a covid-19 que registrou alto interesse – 13 mil em uma semana – foi a reportagem sobre a possibilidade da conjuntivite ser sintoma da doença.

As publicações do site da Faculdade de Medicina são produzidas pelo Centro de Comunicação Social (CCS), com informações dos professores da Faculdade e outros especialistas em saúde.  

O mesmo aumento foi observado no interesse espontâneo do público por conteúdos das redes sociais da Faculdade, que também registrou o dobro de alcance no período, passando de 2 mil por dia para cerca de 4 mil. “O aumento da demanda por informações de qualidade durante a pandemia é geral, assim como a produção dos jornais e instituições ligadas à saúde. Nosso desafio é manter o nível elevado dos conteúdos, sempre baseados na ciência e no interesse público”, observa Gilberto Boaventura Carvalho, coordenador do CCS.

Ações da Faculdade de Medicina

Entre as ações promovidas ou apoiadas pela Faculdade de Medicina durante a pandemia de covid-19 estão a linha direta com a população, o cuidado com a saúde mental dos profissionais que atuam na linha de frente do enfrentamento, o jogo para prevenção da doença em adolescentes e a difusão de boas práticas em saúde nas cidades de origem dos alunos.

Você pode conferir informações sobre a pandemia e as ações da Faculdade pelo site especial

Para evitar a sobrecarga de informações durante a pandemia, que pode causar estresse e ansiedade, a orientação é ser seletivo e buscar apenas fontes confiáveis, limitando o tempo destinado à atividade. Jornais de referência e instituições de saúde são os mais recomendáveis. Se não conseguir lidar com a situação, busque ajuda e acolhimento psicológico. A comunidade acadêmica universitária da UFMG pode recorrer à Rede de Saúde Mental. Clique aqui para saber mais.

Acompanhe as novidades da Faculdade de Medicina pelo site, Facebook e Twitter.