Laboratório do Movimento na luta contra o diabetes

Publicado em Divulgação científica
08 de novembro de 2013

Para promover o Dia Mundial do Diabetes, no próximo dia 14, Saúde com Ciência destaca prevenção e tratamento da doença

marca-scc1Quer saber se a atividade física é essencial para cuidar da saúde? Pergunte aos indivíduos atendidos pelo Projeto de Promoção de Hábitos Saudáveis por meio do Exercício Físico, do Laboratório do Movimento da UFMG. Em parceria com a Santa Casa de Belo Horizonte, o projeto, sediado no subsolo da Faculdade de Medicina, promove uma série de atividades físicas destinadas aos pacientes diagnosticados com diabetes mellitus tipo dois. Reconhecida por afetar pessoas acima do peso, a doença é caracterizada pela baixa atuação da insulina – produzida nas células do pâncreas – e, por consequência, pelo acúmulo de glicose no organismo.

O controle da doença corresponde a um tripé composto por uma dieta saudável, uma vida equilibrada e a prática de exercícios – o principal foco do Laboratório do Movimento. Após triagem realizada pela Santa Casa, os pacientes recebem acompanhamento profissional do laboratório. “Os alunos chegam aqui e medem a glicose. Acima de cem, eles vão começar as atividades; abaixo, eles farão um lanche primeiro”, afirma o professor da Escola de Educação Física, Cássio Vasconcelos, um dos coordenadores do projeto. “É medida também a pressão arterial e a frequência cardíaca para saber se o paciente está apto a fazer as atividades naquele dia”, acrescenta.

Alunos são monitorados durante atividade no Laboratório do Movimento. Foto: Cássio Vasconcelos

Alunos são monitorados durante atividade no Laboratório do Movimento. Foto: Cássio Vasconcelos

A equipe, formada por professores e estudantes do curso de Educação Física da UFMG, atende cerca de oito pacientes por dia – toda segunda, quarta e sexta –, totalizando mais de 80 tratamentos desde o início do projeto, no primeiro semestre de 2012. E como cada caso tem suas peculiaridades, a elaboração das atividades varia de acordo com os aspectos do paciente, o que demanda uma atenção individualizada. “São escolhidos pela equipe exercícios mais fáceis e de melhor compreensão do indivíduo, levando em conta a sua adaptação”, esclarece Cássio Vasconcelos.

Além das atividades aeróbicas, como ginástica e esteira, o laboratório também aposta nos exercícios de força e, para isso, utiliza equipamentos de musculação. “Esse trabalho de força conta com seis ou sete exercícios, e é alternado com as atividades aeróbicas”, explica o coordenador. Os benefícios, claro, vão além do controle da doença, e são sentidos pelos alunos. “Antes eu me sentia desanimada, sem ânimo para nada”, lembra a aposentada de 57 anos, Neuza de Oliveira Silva, diagnosticada com diabetes aos 27 e paciente do laboratório desde 2012. “Quando eu comecei a fazer os exercícios, meu diabetes melhorou muito. Às vezes eu chego com a glicose um pouco alta, mas quando saio até preciso comer alguma coisa, porque ela abaixa mesmo”, exalta.

Em agosto de 2012, o projeto foi reconhecido nacionalmente ao conquistar o Prêmio de Incentivo do Controle da Diabetes Mellitus, vinculado à Sociedade Brasileira de Diabetes. Esse estímulo é direcionado aos alunos. “É importante cuidar da saúde, porque cuidando a pessoa vai levar uma vida normal”, ressalta Cássio.

Tema da semana

A série Diabetes 2013 ainda revela como o diabetes pode afetar crianças e gestantes e quadros de resistência à insulina, entre outros assuntos. Confira a programação:

Diabetes na infância – segunda-feira (11/11/13)

Diabetes gestacional e os outros tipos – terça-feira (12/11/13)

Diabetes e Gripe – quarta-feira (13/11/13)

Atividades físicas no combate à diabetes – quinta-feira (14/11/13)

Resistência à insulina – sexta-feira (15/11/13)

Sobre o programa de rádio

O Saúde com Ciência é produzido pela Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG e tem a proposta de informar e tirar dúvidas da população sobre temas da saúde. De segunda a sexta-feira, às 5h, 8h e 18h, ouça o programa na rádio UFMG Educativa, 104,5 fm. Ele ainda é veiculado em 34 emissoras de rádio em Minas Gerais. Também é possível conferir as edições pelo site do Saúde com Ciência.

Assessoria de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG
jornalismo@medicina.ufmg.br




Share